Ano Novo, Vida Nova: e o Presidente da República que o diga

Inicia-se o ano de 2020 e todos/as trocam os mais sinceros votos de um bom ano novo. No campo da Justiça, fazem-no sem terem conseguido compreender sequer o verdadeiro alcance dos problemas que trazemos de 2019 e de um longo rol de anos que o antecederam, mas dizem que todos os filmes sobre catástrofes começam com um cientista ignorado.

Para a Advocacia estes problemas surgem identificados, por alguns de nós, que há muito os vamos veiculando à Classe.

Em 2019, ao percorrer todo o Norte de Portugal com uma mensagem muito clara, percebi bem como se deve sentir o tal cientista ignorado de todos os filmes sobre hecatombes. Por força da falta das tais soluções concretas e concretizadas, conjugadamente com a falta de um hábito democrático de prestação de contas, ano após ano, os problemas subsistem por resolver e o recurso à demagogia, ao populismo e à desinformação vai sendo a única tábua de salvação daqueles que, tirando proveito da situação em que se encontra a Classe, e para a  qual muitos deles contribuíram, vão varrendo para debaixo do tapete verdades inconvenientes, para tornar os seus discursos, que são vazios e panfletários, mais atractivos.

Ana Sofia de Sá Pereira, advogada